Páginas



Sinopse:
 
Uma Missão a Marte. Um acidente aparatoso. A luta de um homem pela sobrevivência.

Há exatamente seis dias, o astronauta Mark Watney tornou-se uma das primeiras pessoas a caminhar em Marte. Agora, ele tem a certeza de que vai ser a primeira pessoa a morrer ali.
 

Depois de uma tempestade de areia ter obrigado a sua tripulação a evacuar o planeta, e de esta o ter deixado para trás por julgá-lo morto, Mark encontra-se preso em Marte, completamente sozinho, sem perspetivas de conseguir comunicar com a Terra para dizer que está vivo. E mesmo que o conseguisse fazer, os seus mantimentos esgotar-se-iam muito antes de uma equipa de salvamento o encontrar.

De qualquer modo, Mark não terá tempo para morrer de fome. A maquinaria danificada, o meio ambiente implacável e o simples «erro humano» irão, muito provavelmente, matá-lo primeiro. Apoiando-se nas suas enormes capacidades técnicas, no domínio da engenharia e na determinada recusa em desistir — e num surpreendente sentido de humor a que vai buscar a força para sobreviver —, ele embarca numa missão obstinada para se manter vivo. Será que a sua mestria vai ser suficiente para superar todas as adversidades impossíveis que se erguem contra si?

Fundamentado com referências científicas atualizadas e impulsionado por uma trama engenhosa e brilhante que agarra o leitor desde a primeira à última página, O Marciano é um romance verdadeiramente notável, que se lê como uma história de sobrevivência da vida real.
 
A minha opinião:
 
Ok, vou ser sincera. Este foi um livro que quando foi publicado não me interessou. De todo.
Depois vieram as opiniões positivas de outros que o liam e o adoravam. Mesmo assim achei que não era para mim.
Entretanto veio a publicação do livro cá em Portugal pela Topseller e pouco depois a notícia que o livro ia ser adaptado para a grande tela do cinema.
Aí a minha curiosidade despertou pois o ator principal seria o Matt Damon e regra geral gosto sempre dos filmes que ele faz.
 
Chegou a oportunidade de o comprar em segunda mão e bem baratinho e... aproveitei.
 
Mas li-o imediatamente?
 
Não.
 
Ficou alguns meses na estante à espera, como é usual em mim.
 
Quando o filme estava a estrear, com ainda mais vídeos pelo you tube de gente que elogiava esta obra e por me ter estreado numa maratona de 24 horas da qual falei aqui, peguei nele.
 
A minha leitura começou pelo livro em formato de papel. Mas como o início do livro revelou-se um pouco lento, resolvi experimentar o audiobook em inglês que tantos elogios tem recebido.
 
E uau!
 
Que espetáculo.
 
Aconselho vivamente a leitura através do audiolivro em inglês. O profissional que o narra faz um trabalho fabuloso. Parece que estamos a ver/ouvir um filme de ação.
 
Ri, voltei a rir, afligi-me, e voltei a rir à gargalhada.
 
Ao contrário do que estava à espera, este livro é extremamente divertido, muito graças à personagem principal Mark Watney, que irei recordar para sempre com muito carinho.
 
Sim, há termos científicos e matemáticos e assuntos relativos às Ciências, mas nunca se tornou aborrecido. Demora um bocadinho a arrancar, mas quando o Mark é deixado para trás em Marte, o livro nunca mais para. Depois é vermos como é que Mark tenta sobreviver num ambiente nunca antes habitado pelo ser humano.
 
Apesar do bom humor de Mark, nunca perdemos a sensação de perigo. Qualquer pequena distração levará à morte certa.
Disso são exemplo os momentos em que Mark nos conta as suas tarefas diárias para sobreviver num ambiente hostil e de repente BUM, uma explosão.
 
Nunca senti tédio. Nunca senti que este livro era um livro menor, pelo contrário.
 
Este é um livro fabuloso que toda a gente vai gostar. Mesmo aqueles que, como eu, têm algumas renitências.
 
Uma excelente prenda de Natal. Digo eu.
 
 
 
Estupidamente ainda não vi o filme, mas isto é algo que em breve irei corrigir.
 
Um dos melhores livros que li este ano.
 
E a segunda melhor surpresa literária de 2015.
 
 

Sem comentários

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger