Páginas

Sinopse:
O encantador jardim renascentista de uma villa italiana esconde um mistério. O passado e o presente encontram-se em duas histórias de amor, vingança e assassinato separadas no tempo 400 anos…


O jardim da Villa Docci, no coração da Toscana, dedicado à memória da jovem esposa de um nobre do século XV, é um mundo misterioso de estátuas, grutas, trilhos serpenteantes e epígrafes clássicas, que poderão ocultar uma mensagem secreta. O jovem Adam Strickland, da Universidade de Cambridge, parece ser a pessoa certa para decifrar o mistério. Viaja para a Itália e conhece a família Docci, tão sedutora como a villa que habita e o respectivo jardim. Mas a Itália do pós-guerra ainda é um local estranho e perigoso, e os Docci parecem esconder alguns esqueletos no armário… Será que uma nova tragédia irá ter lugar na amaldiçoada Villa Docci?

A minha opinião:
Um jovem estudante da universidade de Cambridge é convidado por um professor para realizar uma tese baseada num misterioso jardim. De início a ideia parece absurda, mas depois de considerar todas as possibilidades Adam aceita o convite e viaja para a Toscana, Itália, a fim de concretizar esse projecto. Mas tudo o que parece ser, não o é. E a viagem de Adam, desde o primeiro minuto, está programada por alguém que necessita dele, que precisa urgentemente de uma marioneta de modo a conseguir o que quer. Mas o que não se apercebem é que Adam tem uma capacidade extraordinária de relaccionar factos e dados que para a maioria das mentes não teriam qualquer ligação, e é neste ponto que talvez Adam consiga fugir, ainda com vida, da teia de intrigas e mentiras em que tentam envolvê-lo.
A sinopse atraiu-me como uma mosca a um doce. A expectativa era grande e, em parte, este livro não desiludiu. O livro está muito bem escrito, as personagens estão bem construídas, e a teia de intrigas... foi o melhor deste livro! No entanto, ansiava por adrenalina e crime logo nas primeiras páginas e não foi isso que aconteceu. Este livro tem um ritmo semelhante aos livros da grande Agatha Christie, em que nós só chegamos a descobrir a verdade apenas com a leitura do último capítulo. É claro que o génio de Agatha Christie é único, e apesar de Mark Mills ter uma boa imaginação, as pistas que vai deixando permitem ao leitor adivinhar a maior parte do que verdadeiramente se passa. No entanto, o final... surpreendeu e faz-me desejar reler este livro daqui a um bom tempo. Quando tiver esquecido da maioria dos detalhes, só para ver se os meus sentimentos mudam. Suspeito que sim... que irei gostar ainda mais dele.

8/10
Lido a 28 de Fevereiro de 2009

5 comentários

Canochinha disse...

Obrigado pela opinião! Tenho andado de olho neste livro, mas ainda não calhou comprá-lo... Fica para um dia destes!

Agora, um offtopic: o teu blog tem um problema qualquer no firefox, não sei se já te tinhas apercebido... No IE vê-se na perfeição, mas no firefox fica desformatado, o que não facilita a leitura dos posts...

Miar à chuva disse...

:/ Realmente não sabia! Obrigada Canochinha. Vou ver o que se passa.

the-door-to-my-imaginarium disse...

já ando tentada a comprar o livro algum tempo :)

flicka disse...

Já estive de olho neste livro... agora com a tua opinião, gostava de experimentar a lê-lo... :)

Lili disse...

Fiquei muito interessada neste livro, sua opinião aguçou ainda mais minha curiosidade. Infelizmente ainda não o temos por aqui no Brasil. Mas vou ficar de olho :)

Adorei o novo layout!!

bjs
Lili

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger