Páginas

Sinopse:
As mulheres descendentes de Maria Madalena possuem dons místicos que ameaçam os poderes estabelecidos. E agora a Igreja quer acabar com eles...

França, século XIII: Bridget cresceu aprendendo a controlar os dons místicos da sua antepassada Maria Madalena, cuja ininterrupta linhagem feminina manteve vivo um legado de sabedoria durante milénios. Mas agora, a todo-poderosa Igreja Católica jurou destruir Bridget por usar os seus talentos curativos e as suas habilidades naturais. O dever de Bridget de continuar a linhagem leva-a até aos braços de Raoul de Montvallant, um católico. E quando a intolerância selvagem da Igreja leva Raoul a rebelar-se, a intolerância cresce para uma ânsia de vingança que só poderá ser saciada com uma cruzada de sangue.


A minha opinião:
Uma verdadeira viagem no tempo até ao séc. XIII onde o leitor consegue absorver o ambiente que se vivia na altura em França. O enquadramento histórico está muito bem conseguido, notando-se que se trata de uma obra cuidada. No final do livro existe uma nota da autora dirigida à pessoa que acaba de ler o livro, explicando quais os pormenores que foram retirados da realidade e quais são ficcionados. Pessoalmente fiquei deliciada ao ver que alguns dos pormenores mais marcantes do romance aconteceram mesmo.
Este livro é na sua essência um romance onde acompanhamos três gerações repletas de estórias de amor, traição, desespero,... No entanto não é o que eu costumo chamar um livro vazio, estéril em que lemos, lemos, lemos e que apesar de estarmos a gostar não se aprende nada. Por estas páginas, que li com tanto prazer, tive acesso a uma mini-aula de História.
O livro começa com o percurso de Bridget e a sua mãe, ambas descendentes de Maria Madalena, mulher de Tiago, sendo este último irmão de Jesus. Por serem mulheres com poderes e com provas de quem são, a Igreja persegue-as ferozmente, assim como aos cátaros. A partir deste ponto conhecemos um variado leque de personagens com as quais sofremos e amamos, até ao culminar da paixão entre Dominic e Magda, filha de Bridget.
Este foi um livro que me acompanhou durante um mês de excesso de trabalho e sem tempo para os pequenos prazeres da vida como ler e que sinceramente tive pena de o acabar. Mal posso esperar para comprar o outro livro desta autora já editado pela Saída de Emergência.
8/10
Lido a 20 de Maio de 2009

4 comentários

Cristina Bernardes disse...

Mais um livro que vou acrescentar à minha lista... já tão longa.

Migalhas disse...

Boa! Fiquei contente com a tua opinião positiva em relação a este livro :)
Já tenho os dois da autora, mas continuo no velho drama de não conseguir pegar nos meus livros... primeiro os do Bookcrossing e os meus vão ficando, mas é bom saber que me aguardam boas horas de leitura com os meus "meninos" ;)

Miar à chuva disse...

Olá Cristina,
Como eu te compreendo!!!
Mas olha que este livro vale a pena se gostares de romances históricos.
Obrigada pela visita
S.

Miar à chuva disse...

Olá L. :-)
Vais ver que vais gostar... é um romance bem bonito e ainda se aprende alguma coisa sobre os cátaros e as preocupações da Inquisição daquele tempo.
Obrigada pela visita.
S.

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger