Páginas

Sinopse:
Quando os seus inimigos finalmente o encontram, Manuel Roca obriga Nina, a sua filha pequena, a meter-se num escoderijo debaixo de um alçapão na despensa, a partir do qual testemunhará o assassinato do seu pai e do seu irmão. Após a matança, Tito, um dos assassinos, encontra o esconderijo de Nina mas, apiedado da inocência da criança, não diz nada aos seus cúmplices. Décadas mais tarde, Nina é uma intrigante mulher que passeia pela rua quando encontra um já idoso Tito a vender lotaria. Este encontro revelará até que ponto a traumática experiência da sua infência marcou ambas as personagens, e se serão alguma vez capazes de a superar.

Sobre o autor:


Alessandro Baricco nasceu em Turim, em 1958, e a sua estreia na literatura deu-se aos 33 anos com o romance Castelos de Raiva.
O seu primeiro best seller internacional, Seda tem sido traduzido para várias línguas e os seis romances que escreveu têm ganho inúmeros prémios literários, incluindo o Prix Médicis Étrangér, em França.
Sucesso de crítica e público, a sua obra é apelidada de «pós-moderna», expressão com múltiplas interpretações e que é, talvez, pequena para um autor que já marcou um espaço de destaque no universo da literatura mundial. Talvez por procurar uma intensidade na sua relação com os leitores, Baricco é hoje em dia um dos autores preferidos pelas camadas mais jovens.
A criação literária de Baricco é bastante diversificada, abrangendo peças de teatro, ensaios, colectâneas de artigos, entre outros.

A minha opinião:
Este é um dos livros que saiu recentemente com a revista Sábado. Mal o tive nas mãos fiquei ansiosa para lhe pegar pois já ouvi falar muito deste autor e queria ler alguma coisa dele. Apesar de todos este sentimentos positivistas tenho de confessar que agradou mas não maravilhou. Culpa disto é talvez a sinopse que acompanha esta edição que revela demasiado do enredo. O livro é pequeno e não havia necessidade de contar tanto sobre o que se iria ler.

Baricco conta-nos uma estória de assassínio, culpa, vingança e amor. Penso que esta frase (retirada do livro, página 154) explica melhor do que eu alguma vez conseguiria no que este livro consiste:

"Então pensou que, por incompreensível que a vida seja, provavelmente a atravessamos com o único desejo de regressar ao inferno que nos gerou (...)"
5/10
Lido a 28 de Maio de 2009

2 comentários

tonsdeazul disse...

Também adquiri este livro da Sábado, pela mesma razão, mas ficou na prateleira a aguardar o momento de ser lido. :)

Miar à chuva disse...

Olá Tons de azul :-)
Deste autor ouvi falar maravilhas, mas mais de um outro livro dele, "Seda".
Obrigada pela visita.
S.

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger