Páginas

Sinopse:
Jo Ellen, fotógrafa de renome, pensava ter fugido à casa chamada Refúgio há muito tempo. Ali passara os seus anos mais tristes, depois do desaparecimento inesperado da mãe. Contudo, a casa que encima as praias exóticas de uma ilha ao largo da Geórgia continua a assombrá-la. E agora, mais assustadoras ainda são as fotografias que alguém lhe começa a enviar: primeiros planos sinistros e puros, culminando no retrato mais chocante de todos, o da mãe... nua, bela e morta. Jo terá de regressar à ilha da sua infância e à família que procurou esquecer. Com a ajuda de um homem, descobrirá toda a verdade sobre o seu trágico passado. Mas o seu Refúgio pode revelar-se o local mais perigoso de todos...


A minha opinião:
Depois de ter lido o "A pousada no fim do rio" e ter gostado bastante, este foi quase uma pequena desilusão.
Lê-se bem (como todos os livros desta autora) e possui todos os elementos necessários a uma boa obra, mas parece que ficou a faltar algo.

Jo Ellen é uma fotógrafa de sucesso, independente e emancipada, uma mulher solitária por opção. Mas quando alguém lhe começa a enviar fotos dela, Jo começa a sentir-se perseguida. Uma perseguição que termina num esgotamento nervoso e numa viagem forçada a casa em Desire, depois de ter recebido uma fotografia da sua mãe (supostamente desaparecida 20 anos antes) morta e numa pose forçada. O estranho é quando Jo começa a duvidar de si mesma porque a dita foto desapareceu sem dar pistas.

Quando Jo Ellen regressa à ilha, que foi o seu lar de infância, tem de confrontar algumas pessoas que sentem dor, muita mágoa e revolta em relação a si - o irmão Brian, a sua irmã Lexie, a sua tia e o seu pai - além de ter de reconstruir a sua própria sanidade mental e enfrentar mais alguns fantasmas do passado.
Adiciona-se a tudo isto o aparecimento de novas fotografias suas, desta vez tiradas na ilha, mulheres que começam misteriosamente a desaparecer, e o que resulta é a luta de uma mulher... a luta pela sobrevivência.

Com um enredo destes era impossível não ficar agarradinha até ao final, no entanto o desfecho cheio de clichés e lugares comuns mais um assassino previsível, estragou um pouco o meu prazer em o ler.

Como sempre a Saída de Emergência é mestre na beleza de publicar livros - o cuidado com o papel que constitui as páginas deste livro, a bela capa, o maravilhoso design, a atenção com a tradução e a revisão, tudo isto me deixa extremamente satisfeita e sem qualquer remorsos em deixar 16 euros na livraria.

6,5/10
Lido a 18 de Maio de 2010

6 comentários

Laelany disse...

Olá!
Este ainda não li e confesso que vou deixar passar um tempo até voltar a ler Nora Roberts :)

Entretanto...tenho selinhos para ti no meu cantinho!

Beijinhos

Miar à chuva disse...

Oh! Obrigada Laelany.
Bjinhos

Lígia disse...

Hmmm, eu ganhei novo alento para ler NR com "A Pousada no Fim do Rio" e, apesar de ter adivinhado o assassino logo no início, até gostei da forma com a história se foi desenvolvendo e houve alturas em que hesitei no meu "veredicto". A semana passada emprestaram-me este, mas se calhar vai ser lido lá mais para a frente, à beira-mar... Depois de ler a tua opinião, parece-me que vou voltar à velha sensação de que a história dava para mais ;)
Bom restinho de fim-de-semana,
Lígia

Miar à chuva disse...

Olá Lígia,
O que vale é que quer adivinhemos ou não o final, os livros da Nora Roberts são deliciosos de ler ;)
Bjinhos e bom fim de semana para ti também
Sandra

Aprendiz de Poetisa disse...

Olá :)
gostaria de lhe pedir para seguir os meus blog, www.misterioemconnellsville.blogspot.com
obrigada.

Aprendiz de Poetisa disse...

http://misterioemconnellsville.blogspot.com/2010/06/blogs.html

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger