Páginas


Sinopse:
Seis mulheres, seis escritoras em delírio e um romance hilariante.
Quantas mulheres existem na cabeça de Maria Marina Silveira Figueiroa?

Marina, que às vezes é Odete, outras dá pelo nome de Maria Eduarda e ainda responde como Francisca, é surpreendida por um telefonema do banco: tem uma dívida ao IRS e a sua conta bancária está penhorada. Desesperada e sem dinheiro, decide recorrer ao amante de Maria Eduarda, Lourenço, inspector da Polícia Judiciária, que, às tantas, deixa de atender o telemóvel e de responder às mensagens. Quando menos espera, a notícia cai como uma bomba: Lourenço é encontrado morto.
Maria Eduarda é detida por suspeita de homicídio e, quando tudo parecia resolver-se, Henrique, o namorado de Marina é assassinado. Acto contínuo, os dias de Maria Marina são passados na Judiciária e é aí, entre um interrogatório e outro, que conhece D. Querida Flor Cerqueira e se apaixona por Couto Pinto. E o verdadeiro mistério começa então a desenhar-se...
A história, nascida da imaginação de seis autoras, promete personagens e uma prosa bem vivas, apesar das mortes que vão ocorrendo, é bom de ver. Este romance constituiu um divertimento para as seis escritoras que se encontraram (reencontraram num caso ou noutro) pelo prazer de dar largas à imaginação e escrever uma comédia irresistível.


A minha opinião:
Peguei neste livro a pensar que era um policial com toques de comédia, mas estava completamente errada. É com toda a certeza uma grande comédia com pequeninos vislumbres de policial (coisa muito pouca).
A história anda à volta de Marina e dos seus desvaneios de mulher. Marina tem um relacionamento disfuncional com um inspector da PJ chamado Lourenço. Por se sentir só e mal amada, Marina começa a multiplicar-se em várias personagens. Um fim-de-semana é Odete, no outro Maria Eduarda, no outro Francisca. Tudo lhe corre mais ou menos bem até ao dia em que recebe uma fria e seca mensagem de que deve ao IRS exactamente 5373,45 euros e que por causa disso ficará com todo o seu dinheiro congelado. Mas tudo ficará ainda muito mais complicado quando Marina é confrontada por dois agentes da Polícia Judiciária que a vão buscar a casa, por suspeita do homicídio do amante.
Crime, mistério, intrigas, segredos e muito humor são os principais ingredientes deste livro escrito por seis mulheres.
É uma leitura bem levezinha e bem humorada, mas que não me conquistou. Compreendo que um livro escrito por 6 pessoas torna-se muito complicado de gerir e admito que tal gerência até foi bem feita. No entanto, ao longo do livro senti que a fluidez do enredo estava comprometida. O que eu quero dizer é que em determinados momentos nota-se que já é outra pessoa que escreve por causa do enredo virar-se noutro sentido diferente. E por isto dei por mim a ler e a pensar "Então? Já é outra coisa?".
Resumindo, achei que se trata de uma leitura fresca, leve e cómica mas incompleta, desagregada e sem profundidade.
3/10
Lido a 18 de Junho de 2009

3 comentários

Tinkerbell disse...

3/10....bolas deve ser mesmo mau lol

Miar à chuva disse...

Olá Tinkerbell,
Para mim este não foi um livro próximo dos meus gostos. Mas haverá, com toda a certeza, pessoas que gostarão de o ler.

Paula disse...

Li somente um livro da autora e confesso que não me cativou muito. Quer dizer tem uma boa escrita, uma escrita que prende, mas depois tem, pouco "sumo" se é que me faço entender. Falta-lhe o essencial. Tem muito de acessório.
Beijinhos

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger