Páginas


Sinopse:
Uma história de caça às bruxas, regicídio e frenesim religioso na França do século XVII...

Forçada pelas circunstâncias a procurar refúgio com a sua jovem filha na remota abadia de Saint Marie-de-la-Mer, a actriz Juliette reinventa-se como Sóror Auguste sob a tutela de uma bondosa abadessa. A pouco e pouco, Juliette adapta-se a tão grande mudança: ao colorido das viagens e constantes descobertas da sua vida de actriz seguem-se as novas exigências de uma existência em semi-clausura. Mas os tempos estão a mudar: o assassinato de Henrique IV transforma-se num catalisador para a sublevação em França, e a nomeação de uma nova abadessa, cuja ânsia pela Reforma não conhece limites, rapidamente destrói tudo aquilo que Juliette começara a amar na sua nova vida. Mas o pior está ainda para vir... A nova abadessa, Isabelle, é uma criança de onze anos, vinda de uma família nobre e corrupta, e faz-se acompanhar de um fantasma do passado de Juliette: disfarçado de clérigo, eis um homem que ela tem todas as razões para temer…

Tratando com subtileza um tema delicado – a religião como subterfúgio, como manobra de evasão face às dolorosas realidades da existência – Joanne Harris constrói uma história bem ao seu jeito, tocante e vívida, apaixonante desde a primeira página.


A minha opinião:
Um romance maravilhoso e mágico que retrata a vida nómada dos saltimbancos no séc. XVII.
A irmã Auguste, do convento de Sainte Marie de la Mer, vive em paz com a sua filha Fleur até ao dia em que a madre superiora morre deixando o caminho livre para alguém com os planos mais tenebrosos que se possam imaginar. Alguém do passado de Auguste, cujo último encontro entre ambos deixou-a grávida e à espera da forca. Alguém que sabe manipular os outros como se fossem peões num jogo. Alguém que sabe todos os segredos da verdadeira mulher escondida sob o nome de sóror Auguste. Alguém que não esquece e que anseia a vingança...
Adorei verdadeiramente cada página deste livro, cada momento deste relacionamento entre as duas personagens principais que balança entre o amor e o ódio.
O final foi surpreendente e com as reviravoltas necessárias para me deixar agarrada a este livro até ao fim.

Imagem da igreja de Sainte Marie de la Mer.

A localidade de Sante Marie de la Mer onde decorre este romance existe e é na realidade uma pequena vila piscatória que se localiza na costa de França, banhada pelo mar Mediterrâneo, na região de Camargue.


Escavações arqueológicas e diversas pesquisas e estudos têm revelado que este local tem sido considerado como sagrado por diversas culturas (Celtas, Romanos, Cristãos e mais recentemente Ciganos da Roménia).



9/10
Lido a 22 de Agosto de 2008

11 comentários

Ferncarvalho disse...

Foi um dos primeiros livros que li desta autora que entretanto se tornou numa das minhas favoritas. :)
Não te custou a entrar na história?
A mim custou um pouco, mas só no início, porque depois mal o conseguia pousar.
Agora por acaso tb ando a ler um livro da Joanne Harris (Xeque ao Rei).
Bem, o teu blog está mto giro!
Parabéns.
Um abração e boas leituras

Miar à chuva disse...

Olá Fern :-)
Como eu adoro este tipo de livros não me custou nada a entrar na história. É verdade que oínício tem um ritmo mais lento (retrata a vida de saltimbanco da Juliette com todos os seus revés).
Fiquei muito surpreendida com a qualidade da escrita deste livro. E ainda mais surpreendida fiquei qaundo descobri que a Sainte Marie de la Mer existe mesmo com todo o seu misticismo. Embora a autora tenha ficcionado bastante.
O "Xeque ao rei" também me parece ser excelente.
Obrigada pela visita :-)

Sofia disse...

Olá Sandra ;)
Já li alguns livros de Joanne Harris e sempre achei que tinham histórias interessantes e cativantes. Este nunca li mas fica a sugestão :D

Homem do Leme disse...

Olá,

nunca li nada desta autora, mas agora fiquei curiosa. É sempre bom conhecer autores novos.

Beαtriz disse...

Tenho esse livro à espera na prateleira para ser lido. Ainda bem que gostas-te, assim não foi uma compra em vão! ;)

Miar à chuva disse...

Olá Sofia :-)
Se não me engano, este é o 2º livro que leio desta autora e gostei bastante. Adoro romances históricos e embora este tenha fugido um pouco a esta categoria valeu a pena pelo enredo criado.

Olá Homem do Leme :-)
Esta autora (pelo que tenho lido de outras opiniões) costuma ser do agrado geral. Este livro, para ser sincera, peguei nele porque já o tinha na estante à espera à muito tempo. Sabes como é ;) pouco tempo para tantos livros.

Olá Beatriz :-)
Na minha opinião, é uma óptima compra para qualquer pessoa que goste de romances.
Espero que gostes de o ler tanto, ou mais, do que eu.

Obrigada a todos pela visita!

Miar à chuva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canochinha disse...

Já li vários livros da Joanne Harris, mas por acaso ainda não peguei neste, que continua à espera ansiosamente na minha estante :)
Gosto especialmente do estilo de escrita da autora e duvido que não vá gostar deste!

Miar à chuva disse...

Olá Canochinha :-)
Também duvido que não vás gostar deste ;-)
Boas férias e boas leituras e obrigada pela visita!

Tony Madureira disse...

Olá,

Nunca li nada sobre esta autora.
Mas confesso que fiquei curioso. Vou procurar ler o livro.


Cumprimentos

Miar à chuva disse...

Olá Tony :-)
Para quem gosta de romances históricos achei uma leitura bastante boa.
Obrigada pela visita!

Sandra

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger